Dia do Fã 2013! Não perca!

 

O Conselho Branco Sociedade Tolkien, através da regional Toca-SP, estará presente com estande.

Não dá para perder a oportunidade de um encontro com fãs das mais variadas tribos.

 

Abaixo, repassando mensagem da organização do evento.

 

 

Dia do Fã 2013

Você não pode perder!!

Venha comemorar com os fãs-clubes de ficção e fantasia mais um Dia do Fã que será realizado com o apoio da Faculdade Sumaré. As
dependências da unidade Sumaré receberão os fãs para um dia repleto de alegria, muitas brincadeiras, exposições, bate papo, desfile de
fantasias e muito mais. Este ano os visitantes terão a chance de adquirir produtos dos fãs-clubes e das lojas para colecionadores.

Data: 23 de março, das 9 às 17h
Local : Faculdade Sumaré – Rua Capote Valente, 1121 – Próximo à Estação Sumaré do Metrô

Entrada franca.

Colabore com nossa Ação Social, não se esqueça de trazer 01Kg de alimento não perecível que será doado para a ACEDEMSP de São Miguel Paulista. Sua ajuda será preciosa para nós.

Juízo dos Valar – Em Julgamento: Boromir

Uma das atividades mais divertidas - e memoráveis - desenvolvidas pela Toca-SP foi a de julgar personagens de Tolkien.  O JUÍZO DOS VALAR.

O primeiro a ser julgado foi Boromir, filho de Denethor, de Gondor.

A Rosana "Shelob" Rios disponibilizou os Autos do julgamento, que agora é postado aqui, no blog da Toca, para que os novos membros conheçam e para que os demais relembrem.

Tudo em nome da diversão.

Então, divirtam-se.

============================================================================================

 

 

JUÍZO DOS VALAR – PROCESSO 01 – TOCA SP do CONSELHO BRANCO
Os Povos Livres de Arda versus BOROMIR de Gondor (2002)

AUTOS DO PROCESSO

Com a palavra o Juiz
O Supremo Tribunal da Terra-Média está em sessão!
Presidindo, o Excelentíssimo Juiz de Direito e de Fato, Mandos Fëantur, Oráculo e Juiz entre os Poderes do Oeste.

CASO: POVOS LIVRES DE ARDA X BOROMIR

O réu, príncipe da casa dos Regentes de Gondor, é acusado de Alta Traição contra a Sociedade do Anel, ameaçando a vida e integridade física de seus membros, particularmente de Frodo filho de Drogo, e a existência de toda a Terra-Média.
O promotor encarregado da acusação é Mothgon, o Mariposa de Pedra.
O advogado de defesa é Romendácil I, de Gondor.
O escrivão é Pippin filho de Peregrin, o Hobbit sem-noção.
Primeiramente a promotoria irá relatar os fatos conforme apurados, e elencar as acusações contra o
réu. Em seguida, a palavra será passada ao advogado que irá fazer a defesa do réu.
Após isso será livre a manifestação das testemunhas. Que a promotoria se manifeste...

*-*-*-*-*

Com a palavra, Mothgon, o Promotor
Seja julgado por este tribunal o homem Boromir, filho de Denethor, natural de Minas Tirith, por seus crimes. Eu o acuso de ter sido dominado pela ganância e, por seu desejo de tomar o Anel, pôr em risco o bom andamento da missão na qual estava envolvido, junto com o resto da comitiva.
Após ameaçar Frodo, filho de Drogo, ele tentou apossar-se do Um Anel, causando a fuga de Frodo, e isso quase levou à destruição da comitiva. Caso ele tivesse conseguido tomar à força o Anel de Frodo, Boromir seria totalmente corrompido e, assim, mataria todas as esperanças de um dia destruir aquele artefato maligno. Como ele não conseguiu, Frodo fugiu. Ora, sabemos que a Comitiva iria se separar, com Frodo, Aragorn e Sam tomando o caminho do Leste (vide pg. 421, Ed. Martins Fontes, edição única) e os outros rumando para o Oeste; então a primeira conseqüência das ações de Boromir é que:
Aragorn foi forçado a permanecer com o resto da Comitiva. Além disso, temos o ataque dos Orcs, que poderia talvez ter sido evitado, caso Boromir não tivesse feito Frodo fugir. Tendo ele assim posto em risco a missão, peço que seja condenado. Como ele já não mais vive, e não tendo ele nenhuma descendência, a pena deverá ser meramente simbólica.

*-*-*-*-*

DEPOIMENTOS das TESTEMUNHAS


Com a Palavra Fingolfin, Rei Supremo
Antes de mais nada, minha posição, quero que fique clara, é em defesa do réu. Afinal, não é muito enfatizado o ponto de vista do próprio Boromir quando a comitiva ruma para sul. Acredito que, à medida que eles se aproximavam de Mordor, não era somente Frodo quem sentia o fardo do Anel, e sim todos que o acompanhavam, pois a incerteza sobre seus destinos, somados à fome e ao cansaço, com todo o pesar que o Portador do Anel sentia, deve ter gerado dúvidas em todos.
Para Boromir, que vira seu povo sofrer e batalhar às portas de Mordor, a mágoa transformou-se numa ansiedade incontrolável diante do vagar com que a Sociedade executava seus planos. De todas as raças, a humana é a mais impaciente, posto que sua passagem pelo mundo é mais breve; logo, era previsível que justamente um humano duvidasse da possibilidade de concretização do dever de Frodo. É válido lembrar também que poucos tinham conhecimento da existência dos hobbits, e ainda mais raros eram aqueles que já tinham feito qualquer contato com um deles; portanto, é inegável que uma possível desconfiança da parte de Boromir poderia ter caído sobre os quatro pequenos; afinal, muitos eram os servidores do Inimigo e ninguém conhecia suas artimanhas melhor do que quem estivera tão próximo à sua morada - ele.
Outra coisa que notei foi como Peter Jackson deixou clara a idéia de um Boromir traiçoeiro desde sua primeira aparição no filme, impelindo o telespectador a odiá-lo. Da forma como interpretei o livro, nenhum plano foi formulado pelo gondoriano e ele não tinha nenhuma intenção maligna, pelo menos enquanto Gandalf os acompanhou. Tudo me pareceu fruto do seu medo e sua descrença
diante das dificuldades (como diria Yoda, o medo leva ao ódio, que leva ao lado negro da força).
Precisamos levar em conta todos os serviços que Boromir prestou em nome dos povos livres de Arda durante toda a sua vida, e não somente um fato isolado. Tomem como exemplo sua participação na luta contra os orcs, que levou à sua morte; e ainda todo o levante contra Sauron quando ele ainda estava em Minas Tirith. Resumindo, acho que Boromir não merece ser condenado por fazer o que julgava ser o melhor para seu povo, ainda mais estando ele em condições incomuns e incapacitado de uma decisão acertada. Afinal, ele tinha promessas a honrar em nome de todos os homens de Gondor. E já tendo ele pago com a vida por seu erro, seria simplesmente crueldade desnecessária condená-lo novamente. Não se recebe duas penas pelo mesmo crime. O intuito de todo castigo deveria ser conscientizar o criminoso de seu erro, e o arrependimento do réu fica evidente nos instantes finais de sua vida. Até mesmo Morgoth foi perdoado após cumprir uma pena e mostrar-se arrependido, e sou de opinião que Boromir já cumpriu esses "requisitos". (Cabe como jurisprudência?)

*-*-*-*-*

Com a Palavra Shelob Laracna
Povos Livres de Arda,
Respeito os depoimentos q foram dados até agora sobre Boromir, mas acho que todos estão esquecendo de verificar os antecedentes do Réu. Só foi citada, como característica dele, a coragem em defender Minas Tirith, supondo-se que seu medo de ver a Cidade Branca cair seria uma desculpa para ter tentado obter o Anel. Ora, se ele fosse um sujeito de caráter, teria resistido à tentação, assim como Faramir, que teve o Um em mãos e resistiu.
Por isso, para compreender Boromir, eu daria a palavra ao próprio Faramir, testemunha mais do que confiável, pois era irmão do Réu; e em “As Duas Torres" declarou: “Se se tratar de uma coisa que dá vantagem no combate, nada me custa acreditar que Boromir, o
altivo e destemido, freqüentemente impetuoso e sempre ávido da vitória de Minas Tirith (e conseqüentemente da sua própria glória) pudesse desejá-la e sentir-se atraído por ela. Que pena ter partido nessa missão! Eu deveria ter sido escolhido por meu pai e pelos anciãos, mas ele antecipouse, alegando que era o mais velho e o mais audacioso (verdade, ambas as coisas), e nada o demoveu.”
Dessas palavras, podemos analisar como era a personalidade de Boromir:
* Era capaz de desejar qualquer coisa que lhe desse vantagem em combate (pensava nos fins sem se importar com os meios).
* Era altivo (leia-se orgulhoso), destemido (leia-se metido a macho) e impetuoso (agia com ímpeto, sem pensar).
* Ávido da vitória de Minas Tirith e de sua própria glória (ambicioso, usava o patriotismo para disfarçar sua vontade de enaltecer-se).
* Antecipou-se à escolha dos anciãos de Gondor (puxou o tapete de Faramir, assumindo a missão de ir a Rivendell), mostrando que era o próprio "garoto mimado".
* Alegou ser mais velho (orgulho da primogenitura) e mais audacioso (arrogante).
* Nada o demoveu (teimosia levada às últimas conseqüências).
Não é difícil concluir que o filho mais velho de Denethor era teimoso, insensato, ambicioso, inescrupuloso, orgulhoso e arrogante, agia sem pensar nas conseqüências, era capaz de trair ou passar por cima dos outros para obter o que quer que desejasse. Tais características mostram que ele tinha tudo para trair a Sociedade do Anel, e nem o amor de Faramir pelo irmão consegue ocultar
isso. Ele foi claramente culpado e deve ser condenado.
(E penso que, neste julgamento, não devemos levar em consideração a morte do personagem. Estamos julgando suas ações em vida, e se ficarmos lembrando a morte dele, acabará prevalecendo o costume "morreu, virou santo". Isso tira nossa objetividade em debater os atos do Réu).

*-*-*-*-*

Com a Palavra Tar-MacFeL
Realmente, eu acho que Boromir, por mais errado que tenha sido, não merece nenhuma punição, mesmo que simbólica. Ele foi movido única e exclusivamente pelo desejo de salvar seu povo e a Terra Média, ele não tinha conhecimento suficiente sobre o Um, e não tinha conhecimento suficiente para saber que, mesmo estando de posse do Um, não poderia controlá-lo. Acho que Saruman, sim, foi movido pela ganância, tinha conhecimento para saber o que aconteceria e mesmo assim assim tentou ter o Um.
Quanto a Faramir, ele não gostava das guerras, preferia a arte; por isso o Anel não causou nele o que causou em Boromir.

*-*-*-*-*

Com a palavra Tar-Meneldur
Venho aqui dar o meu testemunho, que poderia ser mais completo, caso eu tivesse o livro em mãos, mas vamos lá:
Uma coisa é clara: Boromir tentou tomar o anel de Frodo, sem para isso ter qualquer espécie de autorização. Frodo era o verdadeiro e único portador do anel, escolhido por um conselho para desempenhar tal função. Dessa forma, nenhum membro da comitiva, nem mesmo o próprio Gandalf, poderiam forçá-lo a entregar o anel a outra pessoa: a decisão pertencia a Frodo, e somente a ele.
A questão que eu levanto é: estava Boromir no comando de suas faculdades quando cometeu tal agressão? Estava ele sano, e pensando de forma racional, ou haveria outra força, muito mais poderosa, comandando-o? Se ele estivesse sano, poderia ser declarado culpado, e seus motivos nada importariam. Mas observem que Boromir se encontrava em uma espécie de "transe”, como se estivesse possuído, quando tentou tomar o anel de Frodo; e, quando escorrega e cai, ele subitamente é arrancado desse "transe", a sua noção de distinguir entre o que é certo e errado retorna, e ele percebe que estivera sob a influência de algo externo a si próprio. Então se humilha e tenta
desculpar-se com Frodo, que já havia fugido.
Boromir não foi o único que passou por tal experiência. Bilbo, na sua despedida de Gandalf, também sofre algo similar, mas Gandalf o "acorda" do transe com algumas palavras duras, antes que a situação piorasse. Frodo também é vítima deste poder, quando ele e Sam se encontravam nas fendas da perdição, e as coisas teriam saído MUITO MAL caso Gollum não estivesse por lá. E claro, há o próprio Gollum, que chegou a ponto de assassinar seu irmão para ficar com o anel, que ele tinha ACABADO DE ENCONTRAR (e não estava, portanto, sob a sua influência há muito tempo, exatamente como Boromir). O próprio Isildur não conseguiu resistir ao poder do anel
(apesar de não ter tido de brigar com ninguém para mantê-lo)! Faramir era muito mais sábio que seu irmão Boromir, e talvez por isso tenha conseguido resistir ao anel; mas podemos culpar Boromir pela sua pouca sabedoria? E eu levanto mais um ponto: será que uma das razões de Faramir ter resistido não seria o fato de o anel NÃO DESEJAR passar para as suas mãos? Dessa forma, apesar de Boromir não ser a pessoa mais pura de mente e espírito na comitiva, acredito que o ATO da traição tenha sido cometido quando ele se encontrava sob a influência de uma coisa maior que ele, contra a qual não poderia lutar. Portanto, não estava no domínio de suas
faculdades mentais e, logo, não pode ser declarado culpado.

*-*-*-*-*

Com a palavra Bilbo Bolseiro
Gostaria de chamar a atenção a um ponto que ninguém olha. Pensem bem, por que ele queria o Anel? Poder? Ganância? Se minha memória não falha ele apenas queria salvar seu povo, e quando se quer salvar sua família, é difícil manter contato com a razão; o amor pelos irmãos e irmãs levou Boromir a cometer tal atrocidade, mas quem não faria? Acompanhem o raciocínio: Sua família corre grande perigo, você esta ao lado da pessoa que carga o objeto que TALVEZ ajude a salvar sua família, o amor por parentes deixa qualquer um insano. Eu digo que Boromir é inocente pois apenas queria proteger seu povo.

*-*-*-*-*

Com a palavra Delfdragon
Pela visão dracônica, os humanos têm baixa inteligência e sabedoria, mas uma altíssima sede de poder e conquista, provavelmente devido à sua rápida existência (mais ou menos 120 anos). No caso de Boromir, além de sua fraqueza natural humana, ele também era um guerreiro, assim aumentando a sua sede de poder e conquista. Com isso, ele era uma presa fácil do Um, então temos que levar em conta que talvez seu pai, manipulado por poderes maiores, tenha inconscientemente mandado Boromir para realizar o desejo
de Sauron e, com isso, conseguir o Um de volta mais rapidamente.
Então, por sua natureza humana e por ser guerreiro, acredito em sua inocência, pois ele só foi mais um a ser manipulado por poderes maiores e incompreensíveis a ele.

*-*-*-*-*

Com a palavra Delfdragon
Outra vez mexendo em meus pergaminhos, achei frases interessantes, vamos a elas: pg 297 § 2
"-Você deve evitar tocar essa corneta novamente, Boromir - disse Elrond -, até que esteja nas fronteiras da sua terra,e SEJA FORÇADO por uma terrível necessidade."
Aqui podemos ver que Elrond já sabia o que iria acontecer,e com isso mostra que Boromir só era mais uma peça a ser manipulada nesse jogo de xadrez, MANIPULADO.
pg 305 § 9
"-Vou acrescentar um conselho,se me for permitido - disse Boromir."
Não coloquei o trecho inteiro pois é muito longo,mas aqui fica clara a preocupação de Boromir com o bem estar do grupo,e sua proteção."
pg 311 § 8
"-Tenham esperança! - disse Boromir. - Estou cansado, mas ainda me resta alguma força, e a Aragorn também. Carregaremos os pequenos. Os outros,sem dúvida, podem se arranjar pisando na trilha atrás de nós.Venha,Mestre Peregrin!Começo com você."
Foi Boromir e não Aragorn que se propôs a ajudar os Hobbits no gelo, isso mostra outra vez a preocupação e o zelo de Boromir com os pequenos.
pg 312 pf 2
"Depois de um tempo,Boromir voltou carregando Sam."
Outra vez a demonstração de zelo e cuidado com os pequenos.
pg 344 pf 10
"Ouviram-se passos pesados no corredor.Boromir se jogou contra a porta e a fechou com o peso do seu corpo;..."
Aqui Boromir, sem se preocupar com seu bem estar, lançou-se contra a porta, para proteger a sociedade.
Comentários:
Posso ver então que Boromir era uma pessoa preocupada com aqueles que o cercavam, e as suas ações já foram predestinadas; ele fez com que Frodo fugisse e se livrasse do ataque dos Orcs, portanto ele foi usado p/ proteger Frodo, mesmo que sua ação no momento mostrasse o contrário: por isso Boromir é inocente.

*-*-*-*-*

Com a palavra Tar-Meneldur
Saudações,
Acredito que Boromir é inocente, mas tenho ressalvas quanto às suas colocações. Em primeiro lugar, deve-se considerar que, na tradição judaico-cristã, existe uma forte tendência a "santificar" todos aqueles que morrem, como se a morte fosse uma forma de redenção de todos os pecados. Em outras palavras: quem morre vira "bonzinho". Levando-se em conta que "O Senhor dos Anéis" é um livro fortemente baseado nos valores e ideais ocidentais, não me espantei com a reação de Aragorn ao testemunhar a morte de Boromir. Neste ponto, a Shelob tem razão no que disse.
Segundo, o argumento de que as coisas estavam sendo comandadas por um "poder maior", isto é, que tudo estava de acordo com a vontade e os comandos de uma entidade superior, não pode ser utilizado! Senão, não existiriam culpados no mundo! Seguindo essa linha de raciocínio, Melkor e/ou Sauron e/ou Saruman seriam inocentes de tudo que fizeram, pois estavam sendo comandados
por uma "força superior". Para que haja justiça, deve-se considerar que existe o livre-arbítrio (mesmo que ele não exista!), e que os seres vivos estão no comando de suas vidas. MAS......eu vejo o caso de Boromir de uma maneira bastante singular. Não acredito que ele tenha tido a chance de ESCOLHER entre ser dominado pelo Anel ou não: ele simplesmente não pôde resistir ao seu poder, e foi dominado por uma insanidade temporária. Como no mundo real, pessoas que fizeram coisas erradas e estavam sofrendo de insanidade, não podem ser punidas. Essa insanidade fica clara quando ele escorrega, cai no chão, e é arrancado do surto de loucura: ele imediatamente percebe o que aconteceu e se desespera. Demagogia? Acredito que não.
Quanto a Faramir, acredito que os argumentos apresentados são corretos: quanto tempo demoraria para ele se apossar do Anel, E MAIS: será que o Anel queria passar para as suas mãos? Para quem achar absurda a idéia de o Anel fazer escolhas, lembrem-se de que ele ESCOLHEU abandonar Gollum!

*-*-*-*-*

Com a palavra Erendis:
Isso nos faz pensar que o grande ato heróico de Boromir, o ato que o faria ficar livre de punição foi o fato de ele morrer para salvar os hobbits, certo? Se ele não tivesse morrido, muito provavelmente seria condenado a algum tipo de punição, sem pensar-se duas vezes... Só que, será que a morte para salvar vidas inocentes realmente livra as pessoas de punição? Bom, ai é com o nosso Juiz...

*-*-*-*-*

Com a palavra o Juiz:
Sobre o Julgamento de Boromir, três pontos:
1) Boromir ter morrido não o isenta de uma possível punição. Entretanto, o fato de ele "supostamente" ter morrido lutando para salvar os hobbits, conta entre as ações que realizou em vida, e que demonstram sua personalidade. Assim, é um fato que pode ser usado pela Acusação e pela Defesa como qualquer outro.
2) A alegação de que Boromir caiu em um flagrante preparado, levantada por Fingolfin, não é procedente. Em nenhum momento foi demonstrado, nos fato narrados até agora, que os membros da Sociedade intencionalmente tenham deixado Boromir em uma posição em que eles quisessem testar o seu caráter ou sua resistência ao Anel, tentando-o diretamente.
3) A alegação de insanidade temporária, que já foi debatida por alguns, pode ou não se encaixar na situação, e sua aceitação dependerá apenas dos argumentos da Defesa que poderá tentar prová-lo, e da Acusação que poderá tentar negá-lo.

*-*-*-*-*

Com a palavra Shelob
Para encerrar minhas opiniões sobre o Julgamento, gostaria de falar sobre o que Tolkien nos passa.
Os autores lidam com o Bem e o Mal de formas peculiares. Tolkien tem uma abordagem clássica quando trabalha sempre com a vitória do Bem, embora jamais seja simplista, e mostre o custo dessa vitória; ele também faz com que os personagens que praticam o Mal sejam punidos. Ora, Tolkien deixa claro que Boromir realmente praticou o ato de que está sendo acusado. Se ele foi influenciado pelo Um Anel, se tinha intenção de salvar Minas Tirith, por um lado; ou se era mimado, arrogante e ambicioso, querendo preservar sua sucessão como Regente de Gondor, por outro lado... essas duas facetas de Boromir não apagam os seus atos: ele traiu a Sociedade do Anel e atacou Frodo, desejando o Um Anel. Ninguém mais fez isso, Boromir FEZ. E como Tolkien soluciona esse conflito na ficção? Ele pune o personagem da forma clássica: com a Morte. Fica claro para mim que Tolkien acreditava na culpa de Boromir, pois, apesar do
arrependimento, ele não faz com que o personagem seja curado e volte a Gondor. Boromir deve morrer, pois sua culpa foi grande demais...
Vejam que a Morte não é o ponto final para outros personagens: Gandalf recebe novo corpo e volta, Éowyn e Faramir são curados, os portadores do Anel vão para as Terras Imortais... Mas quem erra, para a mente cristã de Tolkien, é punido. Assim como Thorin, em “O Hobbit”, paga por sua ganância e morre após a Batalha dos 5 Exércitos, Melkor é lançado no Vazio e Sauron e Saruman são destruídos, Boromir deve morrer. Portanto, o próprio Tolkien considerava Boromir culpado, e o condenou – à Morte.

*-*-*-*-*

Com a palavra Tar-mAcFeL
O problema de Boromir era sua arrogância; pelo fato de ele sempre ser um dos melhores na guerra, isso o fazia o alvo perfeito para o Um, pois ele se sentia forte o suficiente para controlar o Anel, e isso o colocaria à mostra, levá-lo-ia de volta a seu dono (Sauron). Continuo dizendo, Boromir é inocente, ele não tentou trair a Comitiva, (ele teve outras dezenas de chances de fazê-lo, e não o
fez); ele só foi tomado por um poder muito forte.

*-*-*-*-*

Com a palavra Dethkalas
Serei obrigado a discordar, pois muitos foram tentados pelo UM, porém, resistiram bravamente à tentação. Apesar de não ter dado nenhum depoimento durante o decorrer do processo, deixo agora minha opinião: Boromir é culpado, culpado por ter sucumbido a um poder que a muitos provocou, mas que não se renderam, por ter tentado tomar o anel de Frodo pensando apenas em sua cidade e
ignorando o perigo que isso poderia trazer para os povos livres, por ter sido arrogante em achar que conseguiria dominar um poder tão grande como o do UM. Se ele sucumbiu, foi porque queria que fosse assim: para ele nada mais importava, a não ser a vitória de Gondor, portanto, e considero Boromir como sendo CULPADO, e que justiça seja feita.

*-*-*-*-*

Com a palavra Razor O Dragão Vermelho
O Caso é que Frodo foi o portador do Anel por tanto tempo, que aconteceu com ele o mesmo que aconteceu com Sméagol: ele odiava e amava o Anel, por isso não acho que ele tenha traído a Sociedade. Mas já o Boromir nem mesmo o tinha usado, ele foi tentado pelo Um Anel pois suas intenções eram egoístas, porém redimiu-se ao lutar com os Uruk-hai para tentar salvar Merry e Pippin, e acho que sua morte já foi o suficiente.

*-*-*-*-*

Com a palavra Tar-mAcFeL
Vendo q Boromir está sendo acusado de Alta Traição à Sociedade do Anel, ameaçando a integridade física de seus companheiros, particularmente a de Frodo, filho de Drogo, e a existência de toda a Terra Média... podemos dizer que ele é Inocente de todas as acusações, pois ele não prejudicou em nada a comitiva, pelo contrário, um dos Hobbits diz que se ele não estivesse lá no monte Caradhras, provavelmente as coisas teriam sido piores; e ao longo do tempo em que ficaram juntos, Boromir sempre foi de grande serventia, não houve traição, e ele não "atacou" realmente Frodo, pois eu acho que se de fato ele quisesse causar algum mal a Frodo, ele faria direito.

*-*-*-*-*

Com a palavra Dethkalas
Eu não disse em momento algum que Boromir estava disposto a trair a Sociedade, a princípio ele achava que conseguiria fazer com que todos fossem com ele para Gondor, inclusive o portador do Anel; porém, ao ver que não conseguiria isso, tentou tomar o Anel de Frodo, e você também disse que ele não teria dado a Frodo uma chance de fugir, mas está se esquecendo que foi isso que ele
tentou, porém, sem êxito, pois ele não esperava que Frodo usasse o Anel naquela hora.
Eu concordo em que um poder maior do que o poder do Anel o corrompeu, o nome desse poder poderia ser "GANÂNCIA" - pela vitória de Gondor, pela Honra de ser quem derrotou Sauron, portanto me desculpe, mas continuo achando que as tentativas de defesa de réu são baseadas em fatos infundados e não no que realmente aconteceu.

*-*-*-*-*

Com a palavra Thoronthil
Como vocês podem culpar alguém por não ter conseguido resistir ao poder do Um? Seria o mesmo que culpar alguém por não ser inteligente o bastante para entender um assunto complicado... Ele simplesmente não tinha força de vontade suficiente para resistir ao Um, ainda mais no estado em que estava (tenso, cansado,querendo salvar sua terra), mas isso não quer dizer que ele desistiu, ou
como alguns disseram, que ele não 'resistiu bravamente' ao Um como outros fizeram... Ele simplesmente não conseguiria. Não se pode culpar um cego por não poder enxergar, ou uma pessoa baixa por não ter alcançado uma prateleira mais alta... Era um defeito dele e pronto, ele não tem culpa disso...

*-*-*-*-*

Com a palavra Fruta d'Ouro
Boromir não estava predisposto a trair a Sociedade. E nem caiu no poder do Um. Ele viu no poder do Anel uma oportunidade de ajudar seu povo. E por ser um homem de vontade forte e de uma certa arrogância, embriagou-se na própria sede de alcançar tal poder e acabou dando no que deu. A maior prova de que no fundo era um homem bom e nobre, foi seu arrependimento. Tardio, sim, mas ele
poderia muito bem ter morrido na "ruindade", amaldiçoando a todos por não ter conseguido o Anel.

*-*-*-*-*

Com a palavra Landrack
Que Boromir era arrogante isso ninguém pode negar, mas afirmar que ele era insano ou ainda julgálo por ter caído sob o poder do UM não é certo...

*-*-*-*-*

Com a palavra Mothgon, o Promotor
Sobre insanidade temporária: Não é possível inocentar ou mesmo diminuir a pena de Boromir por alegação de insanidade, sem antes ouvir a opinião de um especialista no assunto. Caso nenhum se pronuncie, cabe ao Juiz apenas julgar essa suposta condição.
Sobre a teoria conspiratória proposta por Delfdragon: não podemos considerá-la sem maiores provas. Elrond não era Mandos e, assim, não tinha conhecimento do futuro. Suas palavras no trecho citado devem ser interpretadas como "Até estar em sua terra, caso então venha a ser necessário". Não há nada de profético ou predestinado nelas.

*-*-*-*-*

Com a palavra final o Juiz


RECESSO


Saudações,
O Julgamento de Boromir está em "recesso". Já findou o prazo para manifestação das testemunhas. A defesa já disse que não poderá postar as alegações finais. A acusação terá até amanhã, ao meiodia, para postar suas alegações finais, depois disso o julgamento será encerrado. Amanhã no começo da tarde eu divulgarei o endereço para votação. Parece que Boromir será julgado revel (à revelia). Mas, como algumas testemunhas se manifestaram a seu favor, ele ainda tem uma chance...
Os autos me foram remetidos pelo nosso Escrivão Pippin, o Hobbit sem noção. Foram cortadas apenas as mensagens que não acrescentavam ao andamento do processo. Pediria a todos que relessem os autos, mesmo que brevemente, e se baseassem apenas neles na hora de julgar Boromir. A argumentação relativa a este processo está encerrada.
O JÚRI
Saudações a todos,
Foi iniciado o período para votação do Júri popular da Terra-Média no Julgamento de Boromir. Os emails com o voto devem ser enviados para votostocasp@bol.com.br O prazo para votação começa agora, e se encerra à 0:00 hora do dia 27/11/02, Quarta-Feira próxima, dando assim uma semana para todos se decidirem. As mensagens não devem ser enviadas para a lista da Toca SP, apenas para o e-mail acima. A forma do e-mail deve ser a seguinte (copie o texto e cole em uma nova mensagem):
Da acusação de Alta Traição contra a Sociedade do Anel:
( ) Culpado ( ) Inocente
Da acusação de ameaçar a vida e integridade física de Frodo, filho de Drogo, do Condado:
( ) Culpado ( ) Inocente
Da acusação de pôr em risco o destino de toda a Terra-Média:
( ) Culpado ( ) Inocente
Os votos NÃO são vinculados. Assim, é possível absolver o réu em uma acusação e condená-lo em
outra. Só será aceito um voto por pessoa, e apenas com um e-mail devidamente cadastrado na lista
da Toca SP.
O VEREDITO
Saudações a todos,
Após as acaloradas discussões, o Júri realizou sua votação. Já temos um Veredito para o réu. Houve 24 votos no total. Porém, uma pessoa, por esquecimento ou má-fé, votou duas vezes. O segundo voto foi automaticamente anulado, alterando o total de votos para 23. Isso não chega a interferir com o resultado, mas posteriormente iremos decidir o que fazer com tal pessoa. De forma geral a
votação foi bastante equilibrada, e o resultado já era mais ou menos previsível...
Da acusação de Alta Traição contra a Sociedade do Anel: O réu foi considerado Inocente, por 15 votos a 7, havendo uma abstenção.
Da acusação de ameaçar a vida e integridade física de Frodo filho de Drogo do Condado: O réu foi considerado Culpado, por 14 votos a 9, sem abstenções.

Da acusação de pôr em risco o destino de toda a Terra-Média: O réu foi considerado Inocente, por 15 votos a 8, também sem abstenções. Na verdade, eu creio que a única abstenção deveu-se apenas a um erro do autor do voto. Mas não há nada que possa ser feito com relação a isso. Amanhã será anunciada a pena do réu para o crime no qual foi condenado.
A SENTENÇA


O réu Boromir, da cidade de Gondor, foi julgado, e considerado culpado de atentar contra a vida e integridade física de Frodo, filho de Drogo do Condado. Como Juiz entre os Poderes do Oeste, eu sentencio o réu a proteger a terra natal de Frodo, por amor à qual ele se tornou o Portador do Um Anel. Para expiar sua culpa, o espírito de Boromir deverá proteger as fronteiras do Condado de todo
o mal que serviu o Senhor da Trevas antes de ele ser derrotado por Frodo. Entretanto, Frodo não mais habita sua terra natal, tendo partido para o Oeste. Por ter sido Samwise o mais fiel escudeiro de Frodo, que teria dado sua vida por ele, então será através de Samwise que Boromir irá expiar seu crime. O réu deverá proteger o Condado até que o último descendente da linhagem de Samwise
deixe os Círculos do Mundo.
Estas foram as palavras de Mandos Fëantur.
-- x --

 

Programação do Encontro do Dia 20

A programação para o encontro da Toca-SP, no dia 20 de maio que, claro, você na anotou na agenda, está pronta:

Dia 20 de maio de 2012
Parque Trianon - SP

10h00 Meren: 2ºdesjejum - (Batismo dos novatos presentes)

10h30 Lambendili - Participação especial: Slicer

12h00 Ida ao Bob's e almoço. (Batismo dos novatos presentes)

13h00 Conselho de Elrond Especial Tolkien fora da Terra Média. (Eu vou levar: ‘Folha de Cisco’ e ‘Sigurd e Gudrun’)

17h30 Ida para o Sarau Mágico - Casa das Rosas

Encontro da Toca-SP dia 20

Mais um encontro da Toca-SP, que sempre é uma ocasião para se divertir.

 

Agendem:

Data: 20 de maio
Local: Pq. Trianon Ten. Siqueira Campos.
Início: 10:00

Programação está sendo definida e será divulgada em breve.

Comissão de Intervenção na Toca-SP

Como muitos sabem, não tivemos candidatos nas eleições da Toca-SP. Sendo assim, seguindo o Estatuto do Conselho Branco, foi instaurada uma comissão interventora.
A principal missão da Comissão será criar condições favoráveis para a abertura de um novo período eleitoral e, assim, eleger a nova Diretoria.
O enTocado Gabriel "Nereruo" assumiu interinamente o cargo de Thain.
Dentro de suas prerrogativas, o Nereruo montou uma equipe que irá auxilia-lo na tarefa, composta por:
Mandos
Estel
Saitar
Tar-Palantir

Todos os enTocados-SP estão convidados a participar desse processo de organização e ajudar a Toca a retomar suas atividades.

Boa sorte à Comissão!

Encaminhamentos sobre a nova Diretoca

Repassando mensagem do Presidente do Conselho Branco:

Suilantan ilquen,

Tendo em vista a atual situação de ausência de candidatos às posições
obrigatórias na eleição da Diretoria Regional da Toca-SP, mesmo com
prorrogação dos prazos, a Diretoria Nacional do Conselho Branco, de
acordo com o Artigo 32 §4 do Estatuto, estabelece que:

a) A atual Diretoria Regional fica liberada de suas funções, com os
mais sinceros e profundos agradecimentos a todos seus participantes
pelas atividades desempenhadas durante todo esse tempo. Sabemos que as
dificuldades foram (e são!) grandes mas vocês as desempenharam muito
bem e contamos com todos para o futuro da Toca-SP. Os atuais
componentes da diretoria regional terão sua participação na lista
Diretoca (diretoca_sp@yahoogrupos.com.br) encerrada.

b) Fica instituída a Comissão Interventora (CI) da Toca-SP composta
exclusivamente por integrantes da própria Toca-SP que não sejam parte
da Diretoria Nacional ou da Diretoria Regional cujo mandato se
encerrou, tendo como presidente Gabriel "Nereruo" Nepomuceno, ocupando
como espaço de discussão e trabalhos a lista Diretoca
(diretoca_sp@yahoogrupos.com.br). Os demais membros da CI serão
indicados na sequência dos trabalhos.

c) A Diretoria Nacional tem plena confiança na capacidade da própria
Toca-SP resolver essa situação interna, fica à disposição da Comissão
Interventora para o que for necessário e coloca o seu Diretor Técnico,
Rodrigo "Slicer" Jaroszewski (diretor-tecnico@conselhobranco.com.br),
como ponto de contato principal entre a Comissão Interventora e a
Diretoria Nacional.

d) A tarefa da Comissão Interventora é alcançar a normalização da
Diretoria Regional da Toca-SP através do estabelecimento de eleições
que resultem em uma diretoria eleita o mais rapidamente possível
enquanto busca manter a máxima normalidade no funcionamento e nas
atividades internas da Toca-SP.

Quaisquer dúvidas podem e devem ser sanadas com o presidente da CI
(Gabriel "Nereruo" Nepomuceno) e com o contato da Diretoria Nacional
neste assunto (Rodrigo "Slicer" Jaroszewski -
diretor-tecnico@conselhobranco.com.br)

Nai tielyar nauvar laiquë arë laurië,
Fábio Bettega
Presidente Conselho Branco gestão 2012-2013

Prorrogação para o período de Candidaturas – Eleições Regionais 2012

Devido ao baixo número de candidatos aos cargos para as eleições regionais, desejamos avisar que nosso calendário foi prorrogado.

De acordo com o Estatuto ainda vigente, caso não haja pelo menos 3 candidatos, sendo 1 deles obrigatoriamente o de Thain, há a possibilidade de Intervenção pela Diretoria Nacional.

Segue abaixo o calendário reformulado:

CALENDÁRIO

10 a 15 de abril – Prorrogação de inscrições
16 a 29 de abril – Período de Campanha
30 de abril a 6 de maio – Período de Votação
7 e 8 de maio - Apuração
9 de maio – Divulgação do resultado da eleição
12 de maio – Posse da Nova Diretoria (sujeito a alteração)

Para quem ainda não leu o Estatudo do Conselho Branco, o documento em PDF pode ser encontrado nos arquivos da lista em Arquivos > Documentos Oficiais> Estatuto Conselho Branco Sociedade Tolkien.PDF

Atenciosmente,
Comissão Eleitoral 2012 Toca-SP
Shirley "Edhel"
Héliton "Chronos"
Rafel "Saitar"

Encontro da Toca-SP dia 07 de abril

Para aqueles que ficam em Sampa nesse final de semana, que tal um encontro da Toca SP no sábado, dia 7?

Com Amigo Chocolate e tudo? 😉

Encontro de Páscoa
Data: 7 de abril, sábado
Local: Casa Modernista | Parque modernista
Endereço: Rua Santa Cruz, 325 [próx. Estação Santa Cruz do Metrô | Linha 1 - Azul]
Horário: das 13h00 às 17h00
Programação:
Conselho de Elrond
Meren + Amigo Chocolate [200gr]
Casa de Vairë - leituras [para quem perdeu o Tolkien Reading Day, leve seus trechos preferidos! :D]
Jogos Tolkiendili [opcionais | havendo quórum]

A Toca-SP no Dia do Fã 2012

Agora só em 2013!
Um dia divertido, de confraternização e encontro com outros fandoms.
Relatos dão conta de que quem não foi, perdeu muito.

Eleições da Diretoria Regional Toca-SP – Abertura do Processo Eleitoral

Almarë, associados da Toca-SP!

A Toca-SP, Subsede Regional do Conselho Branco, comunica que está aberto o processo eleitoral 2012 que irá eleger a próxima Diretoria.
Seguem, abaixo, informações gerais sobre o processo.

CANDIDATURAS
O período para apresentação de candidaturas inicia-se em 26 de março e se encerra no dia 03 de abril, às 23h59.

As candidaturas podem ser feitas através de uma mensagem para o e-mail tocasp.eleitoral@gmail.com, contendo: nome completo, nickname utilizado na lista e cargo desejado.
Essa etapa destina-se à conferência de email e confirmação de que o candidato está devidamente cadastrado no Conselho Branco.
Após a conferência, o candidato receberá mensagem confirmando seu cadastro, quando, então, poderá apresentar sua candidatura à lista do Yahoo.

As candidaturas regionais são individuais, não é preciso montar chapa pra se candidatar em grupo.

REQUISITOS

Para ser candidato, o entocado deve:
- ser membro da Toca-SP
- ter efetuado o recadastramento junto ao Conselho Branco
Notas:
1- O recadastramento (no caso de associados antigos) ou cadastro (para novos associados) devem ser feitos no site do Conselho Branco: http://conselhobranco.com.br/
2- Dúvidas sobre a atualização e validade do cadastro do candidato podem ser enviadas para cadastro@conselhobranco.com.br. Neste caso a mensagem deve ser enviada com o email a ser checado.

CARGOS

Os cargos disponíveis são:

Thain (coordenador regional)
Coordenador Financeiro
Coordenador Jurídico
Coordenador Cultural
Coordenador de Comunicação
Coordenador Técnico
Coordenador de Ouvidoria/Atendimento
Coordenador de Logística

CALENDÁRIO

26 de março a 3 de abril – Inscrição de Candidaturas
4 a 15 de abril – Período de Campanha
16 de abril a 27 de abril – Período de Votação
28 e 29 de abril - Apuração
30 de abril – Divulgação do resultado da eleição
1º de maio – Posse da Nova Diretoria (sujeito a alteração)

COMPETÊNCIAS

O texto do Estatuto do Conselho Branco que se refere aos cargos eletivos acima é o que segue:

DAS DIRETORIAS REGIONAIS

ART. 32 - A Diretoria Regional é a representação e coordenação local da Entidade. Compõe-se de 08 (oito) membros em pleno exercício de seus direitos e deveres, residentes na região geográfica específica da Toca
que representa.

§ 1º - O mandato dos membros eleitos da Diretoria Regional é de 01 (um) ano, prorrogável por mais 01 (um) ano na hipótese de ser impossível cumprir o determinado no artigo 55.

§ 2º - Na hipótese de vacância numa Diretoria Regional os cargos vagos serão preenchidos por suplentes convidados pela própria Diretoria Regional ou pela Diretoria Nacional se a primeira não tomar a
iniciativa de fazê-lo nos primeiros 8 dias a contar da vacância.

§ 3º - A Diretoria Regional poderá ser composta por, no mínimo, 03 (três) Coordenadores, nos casos em que menos de 08 (oito) sócios candidatarem-se para compor a Diretoria Regional.

§ 4º - Nos casos em que não houver o mínimo de 03 (três) Diretores caberá à Diretoria Nacional nomear um Interventor, preferencialmente escolhido entre os Sócios membros da referida Toca.

ART. 33 - É de competência da Diretoria Regional de sua respectiva Toca:

I - organizar as eleições para Thain e Coordenadores Financeiro, Jurídico, Cultural, de Comunicação, Técnico, de Ouvidoria/Atendimento, e de Logística, nos moldes do Capítulo VI deste Estatuto;

II - destituir os membros de sua respectiva Diretoria Regional, quando estes não estiverem agindo de acordo com os princípios da Entidade ou desígnios da Diretoria Nacional;

III - submeter o pedido de exclusão de sócio, a ela filiado, à Diretoria Nacional;

IV - promover encontros regulares entre seus membros;

V - promover e participar de eventos relacionados ao âmbito de atuação da Entidade;

VI - promover e participar de ações sociais que estimulem o hábito de leitura e escrita, bem como o bem estar da sociedade em geral; e

VII - manter-se em contato permanente com a Diretoria Nacional; e

VIII - propor reformas no Regimento Interno da Sociedade.

Parágrafo Único - Com exceção do disposto nos incisos II, III e VIII as demais competências são exclusivas.

ART. 34 - As Diretorias Regionais reunir-se-ão pelo menos uma vez por mês, em local acordado.

ART. 35 - As Diretorias Regionais instalar-se-ão com a presença de metade mais um de seus membros, arredondado para baixo, deliberando por maioria simples dos votos dos membros presentes.

ART. 36 - É de competência do Thain:

I - representar ou fazer representar a Toca do Conselho Branco ou a Diretoria Nacional em eventos regionais considerados importantes;

II - propor e direcionar as atividades da Toca do Conselho Branco de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria e cuidar para que elas sejam atingidas;

III - propor e articular parcerias com terceiros;

IV - participar à Diretoria Nacional as resoluções da Toca e acatar as deliberações da Diretoria Nacional sobre as mesmas; e

V - manter contato permanente com a Diretora Nacional.

ART. 37 - É de competência do Coordenador Financeiro:

I - representar ou fazer representar a Toca do Conselho Branco ou a Diretoria Nacional em eventos regionais considerados importantes;

II - propor projetos e programas que sirvam para a captação de recursos para a Entidade;

III - manter o registro de contribuições e doações à Diretoria Regional;

IV - registrar e manter toda a documentação relativa às atividades econômicas da Entidade, de modo a demonstrar e comprovar a qualquer momento a origem e o destino de seus recursos financeiros; e

V - propor e articular parcerias com terceiros.

ART. 38 - É de competência do Coordenador Cultural:

I - representar ou fazer representar a Toca do Conselho Branco ou a Diretoria Nacional em eventos culturais regionais considerados importantes;

II - propor e direcionar as atividades culturais da Toca de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria Nacional e cuidar para que elas sejam atingidas;

III - propor e articular parcerias com terceiros, principalmente na área cultural; e

IV - coordenar e orientar os diversos grupos de trabalho.

ART. 39 - É de competência do Coordenador de Comunicação:

I - organizar estratégias de divulgação da Toca em mídia tradicional e eletrônica;

II - representar a Toca e o Conselho Branco quando necessário;

III - enviar press-releases para a Mídia e notas informativas para os associados;

IV - coordenar a edição do(s) Informativo(s) do Conselho Branco juntamente com seu(s) editor(es);

V - propor e direcionar as atividades da Toca de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria; e

VI - propor e articular parcerias com terceiros.

ART. 40 - É de competência do Coordenador Técnico:

I - preparar programas e projetos;

II - preparar planos e cronogramas de ação;

III - coordenar e regulamentar os projetos em sua área de competência e relatá-los à Diretoria para serem apreciados;

IV - propor e direcionar as atividades da Toca de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria; e

V - propor e articular parcerias com terceiros, na sua área de competência.

ART. 41 - É de competência do Coordenador de Logística:

I - coordenar a produção de camisetas, brindes e outros objetos da Toca;

II - coordenar a distribuição dos mesmos para os associados e/ou eventos;

III - propor e direcionar, em sua área de competência, as atividades da Toca de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria; e

IV - propor e articular parcerias com terceiros.

ART. 42 - É de competência do Coordenador de Atendimento/Ouvidoria:

I - atender aos associados e levar suas reclamações à diretoria;

II - providenciar soluções para os problemas apresentados;

III - prover atendimento às dúvidas e questionamentos dos Associados; e

IV - propor e direcionar as atividades da Toca de acordo com as metas estabelecidas pela Diretoria.

ART. 43 - Compete ao Coordenador Jurídico prestar assessoria jurídica à Toca, devendo para tanto:

I - representar ou fazer representar a Toca ou a Diretoria Nacional em eventos regionais considerados importantes;

II - dirigir e coordenar as ações jurídicas da Toca;

III - emitir Parecer sobre as atividades desenvolvidas pelas outras Coordenadorias sempre que solicitado;

IV - apresentar seus Pareceres à Diretoria Jurídica Nacional, bem como apresentar relatório sobre as atividades jurídicas desenvolvidas;

VI - preparar os mecanismos legais para o cumprimento dos objetivos da Toca, apresentando-os à Diretoria Regional para serem apreciados e aprovados.

CONTATO
Para esclarecimentos de dúvidas, enviar mensagem para: tocasp.eleitoral@gmail.com.

Comissão Eleitoral
Héliton “Chronos”
Rafael "Saitar"
Shirley “Edhel”